domingo, 20 de dezembro de 2009

Em 2019

20 de Dezembro de 2019, começa a folga de verão da Liga de Futebol Brasileiro, com o final do seu primeiro turno. O campeonato disputado por 25 equipes e agora unificado com o calendário europeu é o que podemos chamar de sucesso. A classificação é a seguinte:

1. Raposas de Uberlândia
Grêmio de Porto Alegre
3. Palmeiras de São Paulo
4. Flamengo do Rio de Janeiro
5. Atlético de Belo Horizonte
Tricolores de Brasília
7. Internacional de Porto Alegre
8. Botafogo de Juiz de Fora
Corinthians de São Paulo
Peixes de Santos
11. Abelhas de Ribeirão Preto
12. Vasco da Gama do Rio de Janeiro
Fluminense de Niterói
Atlético de Curitiba
15. Verdes de Goiás
Ponte Bugre de Campinas
17. Avaí de Florianópolis
18. Santo Sport Capibaribe de Recife
19. Clube Amazonino de Manaus
20. Azulão de Campo Grande
21. Leão de Fortaleza
22. Barcelona do Rio de Janeiro
23. Red Bull de Curitiba
24. Vitória de Salvador
25. Remo de Belém

Este está sendo o melhor campeonato da nova liga, criada há três anos atrás, quando a CBF, em um acordo com os clubes, forçou a mudança total da legislação desportiva brasileira, determinando que todas as equipes de futebol se tornassem empresas. Como houve muita reclamação e contestação, principalmente das equipes menores, Dom Ricardo Teixeira, o proprietário da Liga e dono do futebol brasileiro criou a Liga, com 25 vagas para clubes e determinou que, quem não fosse parte da liga, seria desprofissionalizado, sendo que estes não poderiam jogar partidas oficiais no Brasil e no Exterior e seus jogadores não poderiam jogar pela Seleção.

Com isso, abriu-se um verdadeiro leilão para as 25 vagas. A prioridade seriam para os clubes que tinham disputado no ano anterior o Campeonato Brasileiro da Série A, mas para tanto, teriam que cumprir uma série de exigências e fazer um 'depósito' para garantir a vaga. Outra exigência foi que o clube se tornasse uma empresa, um franquia, e que a vaga seria da empresa, não do clube, o que permitiu, num primeiro momento, a migração de equipes pra outras cidades, por motivos econômicos.

O Cruzeiro foi seduzido por uma proposta de fazendeiros mineiros, que queriam uma equipe forte no triângulo mineiro e, com isso, se mudou para a cidade de Uberlândia, da qual ganhou um estádio totalmente reformado, mudando o nome para Raposas.

O São Paulo também seguiu o mesmo passo, mudando-se para Brasília, depois que o empresário Luis Estevão não conseguiu uma vaga pra o seu Brasiliense. Com isso, o Estádio Mané Garrincha, construído especialmente para a Copa, passou para a equipe dos Tricolores de Brasília (já que não era lógico manter o nome São Paulo), especialmente depois que o antigo Morumbi foi demolido, após o desabamento parcial de suas arquibancadas em 2011.

Outros clubes que mudaram de cidade foi o Botafogo, que se transferiu para Juiz de Fora, a mais carioca cidade mineira; as Abelhas, que depois de Barueri, foram para Presidente Prudente mas, com a extinção das Federações Estaduais, não conseguiu manter a equipe, que se transferiu para Ribeirão Preto; o Azulão, que trocou São Caetano por Campo Grande, que precisava de uma equipe para que o estádio construído para a Copa não ficasse abandonado e o Fluminense, que foi para Niterói.

Algumas equipes deixaram a rivalidade para trás, para não deixarem a cidade sem representantes, como a Ponte Bugre de Campinas, agora tricolor, e o Santo Sport Capibaribe de Recife (o SSC).

Novas equipes surgiram, como o Red Bull de Curitiba, que comprou a vaga do Coxa, numa operação estranha, que despertou a fúria dos seus torcedores, porque houve a mudança do nome e das cores da equipe, mas, depois de uma batalha campal que quase destruiu o Red Bull Arena (antigo Couto Pereira) e que deixou 35 mortos, entre torcedores e policiais, as partes entraram em acordo.

Já o Clube Atlético Amazonino e o Barcelona do Rio de Janeiro, foram equipes que começaram do zero. O primeiro foi montado por empresários em parceria com Dom Ricardo Teixeira (que, dizem, é seu sócio majoritário oculto), que queriam uma equipe na região amazônica. Já o segundo, aproveitando o vácuo deixado pela saída de duas equipes da capital Carioca, e que o Estádio do Engenhão estava abandonado, foi uma aposta da equipe espanhola do Barcelona, que resolveu montar filiais de sua equipe em todo o mundo e, para eles, nada melhor do que começar com o país do futebol.

Como os clubes passaram a ser franquias, a história de passe, Lei Pelé e tal tornou-se obsoleta e desnecessária, pois os jogadores passaram a ser vendidos quando uma boa proposta surgisse. Afinal, o que importa é o dinheiro, não os títulos, pois futebol é um negócio, não uma paixão, como já disseram três proprietários de equipes.

O que eles não dizem é que, com a extinção de todos os outros campeonatos e a desprofissionalização dos outros clubes, está cada vez mais difícil contratar bons e novos jogadores. Os mais pessimistas dizem que o futebol brasileiro desaparece daqui 5 a 10 anos, mas a Imprensa Oficial Desportiva, empresa oficial de divulgação das notícias sobre o futebol brasileiro, por meio de seu diretor, Juca Kfoury, disse que não passa de chororô daqueles que pararam de mamar nas tetas do futebol, e que o mesmo nunca esteve tão bem, e que o fato da Seleção não ter se classificado para a copa de 2018 foi um mero detalhe, pois ainda era um período de transição.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Até 2010

Bem, agora não tem muito o que escrever, o ano praticamente acabou. Volto em 2010, e melhor sorte para nosso Palmeiras.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Os se's

Ah se os se's valessem alguma coisa. Se a gente não fosse operado contra o Bambis, Goiás, Coritiba, Atlético-PR, Fluminense. Se algumas bolas fáceis tivessem entrado e outras tão fáceis não tivessem entrado no nosso gol. Se não houvesse alguns apagões. Se... se... se...

Agora é foda ficar pensando nisso, faltando uma rodada para o campeonato acabar, campeonato que será decidido por um ponto, ou até nos critérios de desempate. Porque nós perdemos este campeonato principalmente para nós mesmos, pois com a vantagem que tínhamos, mesmo com todas as roubalheiras possíveis, conseguiríamos manter a distância e conquistar o título. Mas não, um milhão de merdas internas aconteceram, a imensa maioria delas que nunca serão reveladas, e isso arrebentou conosco.

Na virada do ano teremos uma leve idéia do que aconteceu, pois alguns irão embora e, teoricamente, com isso, vão 'limpar' o terreno.

Terminamos o ano jogando bem, classificado para a Libertadores, mas nada disso apaga o vexame de termos perdido o campeonato mais ganho da história dos pontos corridos.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Total off-topic

Woodstock, ninguém aí foi. Hollywood Rock, Rock In Rio, esses festivaizinhos indies, nada disso pode ser comparado ao incrível, magnânimo e vitaminado BRESSER_FEST. É o Bresser, que todos vocês curtem e amam, mais duas bandas convidadas. E é aniversário do Fábio Vanzo, guitarrista da banda. E depois tem #BresserNights nos botecos da vida, na qual vocês poderão nos pagar uma cerveja e falar muita besteira. Enfim é o evento mais cabuloso desde a queda da Bastilha. Não percam. Levem um fígado USB e disposição pra muito rrrroque.

Onde?
Clube Outs - Rua Augusta, 486 (http://www.clubeouts.com/)

Quando?

Sábado, 21 de novembro, a partir das 18h

Quanto?

R$ 12 antecipado
R$ 15 na hora

Com quem eu compro o convite?

Fábio Vanzo: fvanzo@terra.com.br

Felippe Toloi:
toloi1@yahoo.com.br
Hiran Murbach: radociou@gmail.com
Mariel Moura: mariel.moura@hotmail.com
Carolina Molina: tarulina@gmail.com
Daniele Valente: danvalgomes@yahoo.com
Sarah Kelly: sapias18@gmail.com


Respirando fundo

Não vou escrever nada aqui até conseguir colocar a minha cabeça em ordem, e isto pode demorar alguns dias. Mas é melhor isso que eu falar TUDO o que eu estou pensando agora...

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Primeiro a obrigação, depois a diversão

Hoje será uma noite de duplo prazer. A primeira e óbvia, será acompanhar o Verdão nesta reta final de campeonato, cujo qual, apesar da impren$a e de alguns falsos palmeirenses (sim, nós temos os nossos torcedores de ocasião), ainda está aberto, pois dos 12 pontos em jogo, apenas 1 nos separa dos bambis. E outra, graças às roubalheiras e ao nosso presidente, vamos entrar em campo com sangue nos olhos. Não só isso: impren$inha, CBF, Globo e arbitragem perceberam com quem mexeram, perceberam que o Palmeiras não tem mais aquela diretoria patética, omissa e venal de alguns anos atrás. Agora é assim, bateu levou! Então, todos em busca dos 3 pontos, da tal 'liderança' (não era isso que falavam dos bambis, quando eles ganhavam antes?), de manter o Palmeiras vivo.

Mas depois, disso, tem a diversão. A diversão de jogar a última pá de terra na cova daquele timinho medíocre de Pernambuco, que no começo do ano achava que era maior do que nós, mas que agora está sendo mandado de volta para o lugar qual ele nunca deveria ter saído.

Hoje é dia de encher o estádio e apoiar o time até o último segundo, e mesmo depois do apito do árbitro, cantar. Hoje é dia de cantar o hino o mais alto possível, para que todos os alienados possam nos ouvir, mas não só isso, hoje é dia de gritar:

'Belluzzo'

'Segunda divisão'

'ei, impren$a, vai tomar no cu'

E eu esterei lá, na arquibancada, no meio dos palmeirenses de verdade, cantando, torcendo e comemorando!

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Eu tenho nojo da impren$a esportiva

O futebol é vendido, e os títulos são de quem pagar mais. Não com saco nem estômago para escrever nada agora, nesse espaço, eu só gostaria de me importar menos, de me incomodar menos e deixar de acreditar que o futebol é um esporte onde o melhor ganha e não há manipulação.

Mas o pior é ter que acompanhar nos jornais, agora cedo, a tal impren$inha venal e filha de uma puta argumentando que a derrota se deu apenas porque o Palmeiras jogou mal (e jogou mesmo) e que os erros do Simon foram apenas 'um detalhe'.

Vai tomar no cu! Detalhe, último argumento, desculpa, peguem esses palavreados e enfiem no rabo! Foi um roubo premeditado e nunca saberemos a mando de quem. E foi um roubo que mudou TOTALMENTE o resultado da partida, por mil motivos óbvios.

Se fossem os gambás ou os bambis operados desta forma, esta corja de bandidos que sobrevive de propina e 'presentinhos' estaria agora soltando o verbo sobre o Simon, falando tudo e mais um pouco. Mas, como é contra nós, então deixa quieto. O Palmeiras perdeu porque não jogou bem, apenas isso.

Por essas coisas, não dá vontade de manter esse blog. De que adianta torcer, se quando chega a segunda cedo, e eu abro a tela do blogger, a única coisa que eu tenho vontade é xingar? Depois quando a torcida inteira manda a imprensa tomar no cu, eles ficam magoadinhos...

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Afunilando

Vi apenas o segundo tempo do jogo de ontem, dos bambis. Teve sim um penalty não dado contra o time Leonor, mas desta vez prefiro não pensar em roubo, pois caso o juiz estivesse realmente mal intencionado, ele não expulsaria três jogadores, inclusive o mau caráter do Dagoberto, aquele jogadorzinho de merda acostumado a apelar todo jogo, mas que era blindado pelos árbitros.

Só que, um fato: independente dos interesses exclusos, o time bambi está jogando muito mal! Só não perdeu o jogo de ontem por absoluta incompetência do Grêmio, pois merecia ter perdido.

Agora, um dia esta maldita sorte tem que terminar! Pois é sim um time fraco e, conforme demonstrou ontem, sem nenhum equilíbrio. O Borges deu um soco e um tapa no Túlio e o Dagoberto deu uma voadora no mesmo jogador (a expulsão do Jean foi do jogo), mostrando que tem alguma coisa errada ali, por mais que a nossa querida impren$a tente negar.

Elas são líderes, conforme o Lance adora dizer, mas nós temos ainda um jogo. O Fluminense tá crescendo? O jogo é no Maracanã? Foda-se! O Palmeiras é maior do que tudo isso e, mesmo sem o meio de campo titular, vai com tudo para ganhar o jogo, e eu acredito sim que será possível! Agora, se o Pierre voltar, daí eu acredito que finalmente as coisas entram nos eixos, pois ele fez muita falta em nosso meio de campo, todo jogo ficava um buraco.

O campeonato tá acabando e vamos mesmo disputar o título com a bicharada, provavelmente na última rodada. E temos que ganhar esse campeonato, não só pelo Palmeiras, e sim para barrar esse câncer que atende pelo nome de São Paulo Futebol Clube.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Off topic (BresserBlessed Tour)




Eu sei que este é um blog sobre o Palmeiras, mas eu sou folgado e uso ele pra auto promoção.

Show da minha banda nesta sexta, às 19h, no Largo Santa Cecília. Entrada franca.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

É meu, fui em que comprei

Não sei porque eu ainda acompanho futebol. É podre, é nojento, é venal. Há muito deixou de ser um esporte onde o melhor vence, pura e simplesmente, para se tornar um negócio onde outros interesses, obscuros, prevalecem.

Se o futebol pelo menos fosse uma WWE, a famosa luta livre americana, que finge ser um esporte, mas na verdade é um teatro, tudo bem, mas não é assim! O futebol é um esporte coletivo onde teoricamente o melhor e mais competente deveria vencer sempre. Claro, existem muitas injustiças, mas essas deveriam se ater ao campo, tempero extra à este esporte apaixonante.

Mas não, não é assim que funciona. E conforme o campeonato chega ao fim, essas 'coisinhas' começam a aparecer. Está cada vez mais difícil comprar o juiz para ele dar um penalty para teu time ou anular um gol do adversário, então há a necessidade de serem cada vez mais criativos. E a da vez foi essa palhaçada do Barueri.

Time sem alma e sem torcida, que mostrou agora claramente pra que serve: para defender interesses obscuros de outros. O afastamento do goleiro e do artilheiro do time, justamente e apenas contra o time do Jardim Leonor soou muito estranho, para sermos educados.

Qual o próximo passo? A próxima jogada? Temos que ficar de olho!

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

E agora, Juquinha?????

Sim, eu plagiei o Rafael, do OV:



"de vós esperamos, JK. Um post igualzinho a o que você fez em 24 de novembro de 2008.

Conflito de interesses

MarquinhosFernandinho, do VitóriaBarueri, é, também, da Traffic.

DomingoSábado que vem MarquinhosFernandinho enfrentará o PalmeirasSão Paulo, parceiro da Traffic.

Fará MarquinhosFernandinho um gol no PalmeirasSão Paulo que pode significar a saída de ambos, dele e do PalmeirasSão Paulo, da Libertadores?

O conflito apareceu mais cedo do que se imaginava."

'Ei, impren$a, vai tomar no cu'

Foi uma apresentação de gala, daquelas para lavar a alma e mostrar para um mundo de cuzões que aqui é Palmeiras e, enquanto tivermos um mínimo de chances, não desistimos. O time se isolou por uma semana, resolveu todos os problemas internos e veio para o jogo diferente.

Já nos primeiros minutos deu pra perceber que alguma coisa estava diferente. O time tinha mais pegada, estava correndo mais, lutando mais, vibrando mais. Por outro lado, estava menos tenso, tanto que o gol não veio nos primeiros 45 minutos, mas isso não foi motivo de desespero. Assim, os gols que não vieram no primeiro, sobraram no segundo.

Antes do juiz dar início ao segundo tempo, falei para a Carol e para o Ademir que o jogo seria 4x0, estava sentindo isso. O Palmeiras queria ganhar e o Goiás estava entregue. Na verdade, foi uma soma de todos os fatores possível e imaginários:

- um time com raça

- um adversário apático

- um juiz correto

- a torcida apoiando incondicionalmente o tempo todo

Seria difícil apontar um jogador, mas Obina, Ortigoza, Souza, Figueroa e Danilo jogaram muito. Diego Souza voltou a arriscar as jogadas. Até o Marcão fez uma partida correta, dando uma excelente assistência para o quarto gol.

E, no final da partida, a chuva caiu um pouco mais forte, como um simbolismo de que, naquele momento, a nossa alma estava lavada!

O juiz apitou o final do jogo e a torcida do Palmeiras, como uma torcida DE VERDADE, não torcida modinha, não deixou o estádio, aplaudiu o time, gritou o nome do Muricy, que bateu no peito, do seu jeito habitual, cantou o hino e, finalmente, disse em uníssono, para todos ouvirem, o que todo palmeirense sempre quiser dizer e ser ouvido, principalmente nos últimos dias:

"EI, IMPREN$A, VAI TOMAR NO CU"

E eles morderam....

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Quando chega a hora...

Porque a torcida não vai abandonar o time nesta hora, assim como acreditamos que o time não vai abandonar a torcida quando a única coisa que queremos é o título deste Campeonato Brasileiro. Queremos porque sabemos que estes jogadores, que hoje vestem o manto sagrado, são capazes disso.

O campeonato está acabando e o que parecia inevitável hoje está difícil. Difícil, mas não impossível, pois esta torcida não conhece esta palavra, uma vez que nunca desistimos. Fomos responsáveis para mostrar ao Brasil inteiro o que é subir para uma primeira divisão no campo, mesmo sendo o Campeão do Século. Jogo após jogo, a torcida lotou o Palestra ou qualquer outro estádio do Brasil para ensinar o que é amor à camisa às últimas consequências.

E não é agora que vamos desistir. Estamos a três jogos sem gritar gol e a quatro sem celebrar uma vitória, mas isso vai acabar logo, de preferência nesta quinta, quando comemoraremos os gols que vêm nos faltando nas últimas partidas. Daí, é só atropelar os gambás e tudo voltará ao seu devido lugar.

O medo real

O campeonato embolou. Ainda somos os líderes, mas está todo mundo chegando. Porém, agora que eu realmente estou com medo!

Não tenho mais medo dos bambis, pois deu pra perceber que eles não tem mais todo esse poder nos bastidores e, sem isso, eles são apenas mais um timinho qualquer.

Não tenho medo do Inter, pois os bambis do sul vão amarelar logo logo, e o 'encanto' Mário Sérgio não dura mais do que três ou quatro jogos.

Não tenho medo o galo, pois por mais que eu simpatize com o time, eles já chegaram longe demais. E são treinados pelo Celso Roth.

Mas eu tenho medo do Flamengo. E não tenho medo apenas porque o Pet tá jogando um bolão e o time tá redondinho, eu tenho por uma combinação explosiva e doentia que é:

CBF + Rio de Janeiro + Globo + Fila dos Cariocas = ???????????????

Olho nos detalhes, mais um campeonato decidido nos bastidores???

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Palhaçada

O tal do STJD, que de 'justiça' não tem nada, suspendeu o Vagner Love por 2 jogos, pela expulsão contra o Avaí. Ou seja, ele não joga domingo, no Palestra, contra o Goiás.

Palhaçada!!!

Hay que endurecer pero sin perder la ternura jamás

Quem viveu os 17 anos da fila, como eu vivi (nasci em março de 1977) sabe que essas três derrotas, por piores e por mais dolorosas que foram, não são nada perto do que a gente sofreu com o Palmeiras. Dizer que vivemos tempos de vacas magras é mentira, pois eram tempos sem vaca alguma, pois o time raramente chegava perto de ter chances de conquistar qualquer título. Então, esses torcedores não vão abandonar o time agora!

Mas, também não é hora só de torcer. É hora de cobrar, é hora de pressionar, é hora de exigir raça, entrega e futebol em campo. É hora de exigir o fim das mazelas e dos ciuminhos. É hora de sujar o calção de terra, de deixar o sangue no campo. É hora de parar de tomar gols bestas. É hora de voltar a fazermos gols!

A torcida do Palmeiras é apaixonada, e como todo apaixonado, é exigente mas também não desiste nunca! Vamos secar os adversários neste fim de semana e dia 29 vamos lotar o Palestra pra mostrar pra todo mundo: impren$a, diretoria e jogadores, que aqui é PALMEIRAS!!!

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Silêncio

1 minuto de silêncio pela passagem da dignidade do time Palestrino.

1 minuto de silêncio pela passagem do orgulho do torcedor palmeirense.

1 minuto de silêncio pela passagem das esperanças pelo título.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Comédia ou tragédia?

Alguém consegue me dizer o que aconteceu ontem no Palestra Itália? Um time apático e sem vibração, mesmo empurrado por uma torcida que lotou o estádio e que empurrou o time o tempo todo? Raras chances de gol e um penalty patéticamente batido aos 40' do segundo tempo, e foi só!

Mesmo assim, mantemos 4 pontos do segundo colocado, e grandes chances de conquistar o título, mas há algo de podre no reino da Dinamarca, só não sabemos o que.

Ano passado perdemos o título e quase a classificação para a Libertadores porque o time parou de jogar de propósito e decidiu que o Palmeiras não deveria ganhar nada. E hoje, infelizmente, parece que algo semelhante está acontecendo, apesar de eu não querer acreditar que seja isso.

Problemas com o valor do bicho, guerra de egos ou o caralho, pra mim, palmeirense, isso pouco importa. Não me interessa ciúmes de homem, nem seu um tem um carro ou uma loira melhor do que o outro, pois nada disso muda a minha vida, porém o Palmeiras perder pateticamente do Flamengo, como ontem, muda muito! Fode com meu humor, fode com o meu dia, fode com a minha semana!

Qualquer um que tem ou teve contato com bastidores de futebol sabe que jogador de futebol é mais puta que as próprias prostitutas, que é a raça mais venal, falsa e mercenária do mundo, com raras exceções, portanto podemos esperar de tudo desta corja. Agora, não venham perder esse título brasileiro, que está nas nossas mãos. Não venham com palhaçada, porque daí o buraco é mais embaixo.

Pior é que depois a gente é obrigado a ver a porra da impren$inha querer passar uma imagem de coitadinhos dos jogadores e de bandidos dos torcedores! Imbecis, os valores estão trocados, sempre em causa própria! Quando este bando de filho da puta, seja da impren$a, sejam dos jogadores, vão perceber que o futebol SÓ EXISTE POR CAUSA DOS TORCEDORES?????

Depois que a torcida critica, eles ficam magoadinhos... ah vão tomar no meio dos seus cus, mercenários!!!

E, se alguém tentar me dizer que o Vagner Love não chutou aquela bola na Avenida Sumaré de propósito, vai perder seu tempo!

Esse time aí é Marcos, Danilo, Armero, Souza, Diego Souza e Ortigoza. O resto é um bando de bosta!

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

A hora da verdade

Está chegando a hora da verdade, onde a gente descobre quem realmente é competente e tem condições de conquistar o título brasileiro. Nós escorregamos? Sim, mas estamos a 9 rodadas do fim e com 5 pontos de vantagem. Por mais que a impren$a queira criar uma crise, ela passa longe dos muros do CT da Barra Funda.

Temos um time forte e coeso, jogadores com vontade de ganhar, uma boa mescla de experiência e juventude e um técnico que gosta de trabalhar, não de jogar pôquer e intermediar venda de jogadores. Então, temos tudo para ganhar esse campeonato.

O jogo com o Flamengo vai ser difícil, mas quais não foram até agora? Outra coisa, nesse campeonato perdemos a maioria dos pontos pra equipes pequenas, quando jogamos com os grandes, sempre nos damos bem. O Flamengo vem pra cima, e é contra equipes assim que gostamos de jogar.

A torcida também está fazendo a sua parte, e vai continuar fazendo. Afinal, apesar de não termos um elenco com a mesma qualidade dos outros concorrentes, como a impren$a e as meninas gostam de frizar, temos algo que elas não têm: camisa e torcida!

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Dois pontos perdidos ou um ganho?

Pra quem, ontem, por volta das onze da noite, liga o rádio ou procura na internet o resultado do jogo do Palmeiras e descobre que ele empatou em casa com o Avaí logo pensa: 'Que merda!'. Eu também pensaria se não tivesse ido ao jogo e não visse os outros resultados.

Obviamente um time que quer ser campeão não pode pensar em empatar em casa com um time pequeno, mas esta é a graça do futebol, os resultados inesperados. Ganhamos do Santos e do Cruzeiro fora de casa e empatamos com o Avaí em casa, e não é por causa disto que vamos deixar o título escapar.

Mas, primeiro, a rodada nos foi favorável. Os Bambis empataram em casa, Goiás e Galo perderam e só o Inter ganhou, mas este aí logo pára (pau no cu da reforma) de novo, pois o fôlego do Mário Sérgio não dura mais do que quatro jogos. Desta forma, a nossa distância para o segundo colocado continua a mesma, 5 pontos, 2 rodadas. E faltando uma rodada a menos.

Segundo, da forma como o jogo transcorreu, com o time retalhado, campo enlameado, levando dois gols logo no início e com o Avaí perdendo no mínimo dois gols bisonhos, o empate foi ótimo. Teve um momento que o time pegou a bola, pelo lado esquerdo, e eu vi: Marcão. Jefferson e Jumar. Tive vontade de chorar.

O tive demonstrou pegada e vontade. O Robert e o Ortigoza (pra variar) entraram muito bem. O Figueroa não marca bem, mas joga demais, vai virar o novo Arce. E o Edmilson fez uma ótima partida.

Empatamos? Tá, empatamos, mas ainda somos líderes. E quem disse que a gente quer as coisas fáceis?

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Só por hoje, o verde é outro

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Futebol de campeão



O Palmeiras jogou ontem o verdadeiro futebol de campeão. Não, o time não deu espetáculo, mas quem disse que campeão dá espetáculo? Campeão é preciso, é raçudo, é vencedor. E o Palmeiras foi tudo isso!

Dava pra ver nos olhos e nas jogadas que esse time quer ser campeão, muito diferente do time do ano passado, daquele do Luxemburgo, Elder Granja, Alex Mineiro, Leandro, Léo Lima, que entregou o campeonato para os Bambis. Sim! Esse time quer ser campeão, e será!

O Muricy se encaixou perfeitamente no Palmeiras, o Marcos está em excelente forma, a dupla de zaga (quando o Marcão não joga) é sólida, os volantes são seguros, em especial o Souza, que tem personalidade e está mostrando que o Palmeiras revela sim jogadores, temos um meia preciso e um centroavante de verdade. Mas, além de tudo isso, temos Diego Souza, o melhor jogador do campeonato este ano, um jogador que ninguém no Brasil tem.

Além disso, temos uma diretoria que também quer ser campeã, e não simplesmente fazer dinheiro.

Enfim, temos todos os ingredientes necessários para o time ser campeão. Agora é não perder o foco e contar os dias!

Porque aqui é Palmeiras, porra!

sábado, 3 de outubro de 2009

O bambi e o gambá

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Quem tem medo?



Quem tem medo do bambi mau, do bambi mau, do bambi mau
Que pega os menininhos pra fazer mingau?

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Uma imagem

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

E na casa das meninas homofóbicas

Hoje a matéria da capa daquele jornaleco foi uma entrevista com o Ricky. O tal do Richarlyson Felisbinoue é motivo de piadinhas de todos (inclusive deste que vos escreve) pelo seu jeito. Mas a questão é muito simples: o cara é homossexual assumido, o primeiro jogador brasileiro a tomar tal atitude.

Certo, muitos vão dizer que ele nunca chegou e disse: "sou homossexual", mas isso não se deu até hoje porque a diretoria do São Paulo, aquela que é admirada por todos como a diretoria mais moderna do Brasil, a perfeita, a blindada pela impren$a não deixa. Quem frequenta ou conhece alguém que frequenta as baladas gays de São Paulo sabe que ele está lá todo final de semana, cercado de meninos. Quem o vê jogando, andando ou falando tem certeza disso, ele demonstra ser e não esconde de ninguém. Mas, repetindo a pergunta, por que ele não assume?

Esse preconceito ainda existe, mas é cada vez menos, muito menos nesta cidade. Os homossexuais estão em todos os lugares, não se escondem mais e têm orgulho do que são. E eles estão em todas as classes sociais e profissionais. Consequentemente, estão no futebol. Alias, sempre estiveram no futebol, hipócrita é quem não admite isso.

Então, neste caso, porque o clube mais moderno do país não aproveitou uma chance dessas, de ser o pioneiro em assumir que em seu plantel tem um jogador homossexual? Porque esse pseudo-modernismo barrou num reacionarismo sem limites. A diretoria do J.J.Scotch e do anão de jardim mostrou a mentalidade medíocre deles ao proibir (sim, proibir) o Richarlyson de se assumir gay no episódio do Cyrillo apenas ajudou a tornar a situação insustentável. Se ele se assumisse, em dias tudo seria esquecido, mas com esse teatro mal feito, o assunto nunca desapareceu.

E não é só, a torcida das meninas ainda se recusa a cantar o nome do jogador, mesmo sendo ele um dos que mais demonstra raça e amor a camisa, dentre um bando de desalmados (no sentido literal mesmo) e frouxos. Isso tudo só demonstra a homofobia daquela torcida modinha. Porra, se um jogador do Palmeiras se assumir gay, mas em campo honrar o manto verde, foda-se a opção sexual dele, eu vou gritar o nome do cara e ele vai ser meu ídolo.

Mas, todo homofóbico na verdade é um viado enrustido e com medo de experimentar e gostar, então, está explicado. Porque pouco me importa de o cara come uma modelo ou dá o rabo, quem vai comer não sou eu mesmo.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

E o jogo do Brasil?

Muitos dizem qual o motivo do Dunga ter levado o Cleiton Xavier e o Diego Souza para seleção, se eles não jogaram? Egoisticamente dizendo, foi uma besteira, mas temos que pensar o quão importante isto foi para os dois, nem tanto para a carreira deles, e sim para a satisfação pessoal. Eles mereceram e espero que estejam em outras convocações pois, diferente de outros pipoqueiros por aí, eles sempre honraram o manto verde que ostentam. Só espero que dá próxima eles possam jogar, pois são mais jogadores que muitos que estavam em campo ontem.

E mostra também que o líder do campeonato merece ser sim olhado com respeito, pois não é qualquer idiota que joga com a camisa do Palmeiras, é preciso muito mais do que simplesmente saber jogar bola, aqui é tudo muito mais complexo.

Sobre o jogo? Grande bosta! Bem feito pro Bielsa que demorou pra colocar El Mago Valdívia em campo e, quando o faz, deixa ele enfiado no ataque. Chupa argentino!

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Brasileiro?

Hoje tem jogo do Brasil. Grande merda!

Eu vou torcer para o Diego Souza e o Cleiton matarem a pau, e o Valdívia entrar no jogo e humilhar os bambis da zaga e, quem sabe, mandar o André Dias calar a boca.

Brasileiro? Eu sou Palmeirense!

domingo, 6 de setembro de 2009

A insustentável irrelevância do ser

O futebol é feito acima de tudo de paixão, e essa paixão, para existir, prescinde da existência das rivalidades entre os times. Porém, rivalidade não é uma coisa que se compra, e sim que se conquista, como história. Por sinal, história e rivalidade são duas coisas que andam lado a lado.

Este esporte é uma paixão mundial, mas não sou todos que entendem a sua verdadeira essência. Futebol é paixão, é rivalidade, é vibração, é raça, é sangue e suor, é raiva e frustração. E futebol não é business, motivo pelo qual ele não se torna popular em terras Yankees.

Mas, alguns times, por mais que tentem, não conseguem transcender à este nível, mantendo-se como times completamente irrelevantes para o futebol brasileiro, daqueles que, se desaparecerem, logo serão esquecidos. Todos eles possuem elementos em comum, como torcida modinha que somem nas dificuldades, 'apoio' constante da arbitragem, arrogância e viradas de mesa. E despertam ódio dos rivais. E ódio é muito diferente de rivalidade.

- Sport Recife: quem? O Ixpó? Aquele time que se diz até hoje Campeão Brasileiro de 87, mesmo tendo disputado a segunda divisão? O mesmo que este ano, quis construir uma rivalidade artificial com o Palmeiras? E que é odiado pelos outros dois times pernambucanos?

- Cruzeiro: o time azul mais amarelo do mundo, até porque a única coisa boa deles é o uniforme, que é realmente bonito. Fora isso, só é maior do que o América (não confundir com Atlético, não é um erro de digitação) porque a maioria dos brasileiros seguem a lei de Gerson e torcem para o time que está ganhando. Mas, esse não nos interessam.

- Fluminense: o pó de arroz, só por ter um apelido deste não merece ser levado a sério. Certo o time teve Nelson Rodrigues como seu torcedor mais emblemático, mas só. É um caso raro de time irrelante que nunca ganha nada, deve ser por isso que está desaparecendo, prestes a se tornar um Bangu (não América, porque este tem torcedores). O aparente rebaixamento deste ano, além de servir para corrigir um erro de cerca de 10 anos atrás, mas mostrar como se comporta um torcida deste tipo de time quando numa segunda divisão.

- São Paulo: o time da torcida modinha, que pregou o disparate da conversão de torcedores, ou seja, comprar a paixão! Não sabe o que é rivalidade e tem inveja disso, não tem torcida apaixonada e tem raiva disso, então inventa mil e uma histórias. Um passado (?!) negro que inclui tentativas de usurpação de propriedade, uso de dinheiro público e, o pior, desconhecimento de informações como a própria data da fundação.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

A saga por um ingresso

Eu não iria ao jogo de sábado, contra o Barueri, mas convidei meu pai e meu irmão para virem, já que faz anos que eles não pisam no Palestra Itália e, como eles toparam, fui hoje (quinta) cedo comprar os ingressos.

Cheguei lá por volta das 11h30 e a fila era gigantesca, já estava quase na esquina da Av. Sumaré, tudo porque a venda que deveria se iniciar as 10h começou após as 11h.

E é fila que não anda. Ou melhor, anda à passos de tartaruga.

Eu estava achando que estariam abertos apenas 2 ou 3 guichês, mas na verdade estavam uns 6. Por isso mesmo, eu não consigo entender porque tanta demora!

Duas horas depois, chegou a minha vez. E, somente quando faltavam duas ou três pessoas na minha frente, é que foram abrir as bilheterias para as cadeiras, ou seja, quase 13h30.

É um puta desrespeito!!!

Fast and Furious

- Perdemos o primeiro turno para os bambis gaúchos, mas agora, com o mesmo número de jogos, estamos um ponto a frente e não teremos mais confronto direto com eles.

- Sejamos racionais: o título está entre nós, e os bambis gaúchos e paulistas. O resto é figurante.

- A chegada do Love é a peça que faltava neste time.

- Foda a contusão do Pierre, fará muita falta. Mas o Souza dará conta do recado.

- Não acredito até agora que o Palmeiras foi jogar no panetone e não foi garfado. Milagres acontecem.

- Valdívia em 2010? Não falo nada, é alegria demais.

- Subir o preço dos ingressos é foda, mas pior ainda são as condições para comprá-los. Horários ruins e poucos pontos de venda.

- O título só depende de nós, vai Palestra!

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Uma imagem basta

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Trilha Sonora da Sexta (Friday I'm in Love)













e claro!!!

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

95 anos de história


95 anos de história
95 anos de vitórias
95 anos de batalhas
95 anos de conquistas
95 anos de paixão
95 anos de Palmeiras

Parabéns Palmeiras!

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Campeonato Brasileiro de Pontos Roubados

3 pontos: Evandro Rogério Roman (PR)
– Goiás 2 x 1 Palmeiras (22/07)
Juiz viu pênalti, inexistente, de Wendel, jogo estava 0x1 Palmeiras.
A virada partiu de um lance com impedimento. No fim, 2 gols ilegais

3 pontos: Péricles Bassols Cortez (RJ)
– Coritiba 1 x 1 Palmeiras (19/08)
Pênalti totalmente inventado de Marcão em Thiago Gentil. Além de ter errado, o atacante do Coritiba fez falta antes.

2 pontos: Rodrigo Braghetto (SP)
– Palmeiras 0 x 0 SPFW (24/05)
Pênalti escandaloso de Miranda em Diego Souza não marcado. O jogo foi 0 x 0 e poderíamos ter saído com a vitória.

2 pontos: Guilherme Camilo (MG)
– Atlético/PR x Palmeiras (22/06)
Invalidou golaço de Obina marcando impedimento. O jogo foi 2×2 e tivemos um gol garfado, o que nos tirou mais uma vitória.

2 pontos: Nielson Nogueira Dias (PE)
– Palmeiras 1 x 1 Grêmio (06/08)
A falta que originou o gol do Grêmio foi cobrada com bola rolando, portanto, ilegal e contra as regras.

Total de Pontos Roubados: 12 pontos

Este é uma cópia do blog do Fernando (Nação Palmeiras), mas que é tão bem feito que merece ser passado pra frente!

95 anos de paixão

Palmeiras, Samsung, Futebol e os Blogs – O Futebol





Neste sábado eu fui convidado pela Samsung, juntamente com outros blogueiros da Mídia Palestrina, a assistir ao jogo entre Palmeiras e Internacional, no camarote do Palestra Itália.

Era um jogo muito importante, pois praticamente disputávamos a liderança com os gaúchos, sendo o famoso jogo de seis pontos. Além disto, foi o lançamento a nova camisa do Palmeiras, azul e com a Cruz de Savóia no peito, homenageando as nossas raízes italianas.

Esta camisa foi criticada por muitos, como também é criticada esta identidade italiana que preservamos, mas eu discordo disto veementemente. Primeiro, a camisa é muito bonita, o modelo é idêntico ao primeiro que tivemos, nos idos de 1914, assim como o símbolo, pois a Cruz de Savóia foi o primeiro brasão do Palestra Itália.

Sobre a identidade italiana, temos sim que ter orgulho de ser um clube com história. O Palmeiras hoje é detentor de uma das histórias mais bonitas de todas e é, provavelmente, o clube brasileiro que mais dá valor para ela. Não conheço nenhum clube que tenha tantas réplicas de camisas antigas, que dê mais visibilidade aos seus brasões antigos, que mantenha teu antigo nome e tuas cores em evidência até hoje, tanto pelo clube quanto pelos torcedores.

Temos uma história, uma história de muitas conquistas mas também de muitas lutas. Já tentaram roubar nosso estádio, obrigaram-nos a mudar de nome, mas nada disto destruiu a nossa história, muito pelo contrário, tornou-a mais forte, mas vívida. E nos tornou, Palmeirenses-Palestrinos, italianos (mesmo sem ser pelo sangue) de sangue quente e corneteiros, uma das torcidas mais apaixonadas e presentes deste país.

Sobre o jogo, muito já foi dito pela mídia tradicional e pelos blogs palmeirenses. Foi um jogão, de dois times muito fortes e, provavelmente, principais candidatos ao título, lutado do primeiro ao último minuto, com direito a fortes emoções, jogadas maravilhosas e os já corriqueiros roubos.

A partida começou quente, mas, logo no começo, o Cleiton Xavier se machucou, dando lugar ao Daivid Sacconi. Mesmo assim o Palmeiras foi superior durante praticamente toda a partida. Meus destaques:

- Maurício: não o Ramos, o jovem das categorias de base, que foi tranqüilo, seguro, jogando como um experiente. Espero que o Muricy tenha percebido isto e que, quando quiser jogar com três zagueiros, o coloque no lugar no Marcão Cone.

- Souza: outro jovem das nossas categorias de base, a cada jogo mostra que tem tudo para ser um excepcional jogador. Marca forte, mas tem uma saída de bola muito acima da média para um volante. Este moleque ainda nos vai dar muitas alegrias.

- Ortigoza: você o vê jogando e não consegue imaginar que ele tem apenas 20 anos e que, até alguns meses atrás, jogava em um clube mediano do Paraguai. Tem uma raça incrível, mas também se vê nele um enorme potencial. Joga muito bem como pivô, tem arranque e tempo de bola, como vimos do segundo gol e, pela sua forma de jogar, percebe-se que, se lapidado, será um grande atacante, com certeza titular da seleção paraguaia.

- Diego Souza: o que falar do cara que é hoje o melhor jogador do Campeonato Brasileiro? Consegue unir numa só pessoa a raça e a vontade com a irreverência que só o craque tem, a força e preparo físico com uma técnica extraordinária. É capaz de arranques incríveis, combinado com dribles humilhantes e, ao mesmo tempo, produtivos e rumo ao gol. É o cara do Palmeiras e está muito perto de escrever teu nome na restrita lista de ídolos palmeirenses.

Com isto e com um futebol convincente, abrimos quatro pontos dos bambis e agora, domingo, temos a chance de, em pleno panetone, ampliarmos a margem e colocarmos as coisas nos devidos lugares no Brasileirão 2009.

Para saber sobre a ação da Samsung, visite o meu blog de assuntos genéricos. E para saber mais sobre a história do Palmeiras, visite o blog do Seo Cruz.

...eu canto eu sou PALMEIRAS até MORRER!

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

O fim da má fase

Crise não, má fase. E é o que amanhã teremos, o fim da má fase. Vamos com tudo pra cima dos bambis gaúchos e mostrar nosso verdadeiro futebol e permanecer no lugar que é nosso por direito, ou seja, o topo da tabela. Contra tudo e contra todos. E isso nós vamos ver de camarote!

Vai Palestra!!!

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Eu desisto

Sim, este é um desabafo! Eu parei com futebol! TODO JOGO o Palmeiras é roubado??? Não sei quem comprou essa merda de campeonato, mas nós é que não fomos.

Ainda bem que eu não jogo bola, senão hoje eu enchia tanto a cara desse juiz de porrada que eu iria ser eliminado do futebol.

Cuidado com o Jason



por Chuta Que É Macumba

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

A cara da crise



a cara da crise é verde

pelo menos é o que a imprença diz... vc acredita?

eu não!!!

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Absolvido

E o Diego Souza foi novamente absolvido, por um lance ridículo, onde um bambi se desequilibrou e caiu sozinho. Porém, foi apertado, 4x3, ou seja, três relatores votaram a favor da condenação.

#PauloSchmittVagabundo
#AlexandreQuadrosVagabundo
#DarioRossineVagabundo
#AprobattoGambáVagabundo

Só Love



Segundo o Seo Cruz, aka 'o rei do furo', Vagner Love está de volta ao Palmeiras.

Garotas, tremei!!!

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Curtas e boas

- quando o Muricy era técnico dos bambis, o cara era deus, o melhor técnico do Brasil. Agora ele virou um técnico teimoso, retranqueiro e de uma só jogada. Dois pesos e duas medidas?

- quem é o Ronalducho pra vir falar merda do Palmeiras? Cala a boca, marido de traveco!

- Vagner Love de volta? Eu gostei da idéia.

- Pelamordedeus, alguém quebra a perna do Marcão em algum treinamento?

- Marcão levou frango? Sim, mas ele assumiu a falha e depois compensou pegando um penalty. Queria ver o goleiro de hockey no lugar do Santo, ia inventer desculpa do campo, da bola, do zagueiro...

- Diego Souza joga muito.

- A zaga tá jogando muito (leia-se Danilo e Maurício Ramos).

- Diretoria, não deixa o Ortigoza sair!

- Marcos, 450 jogos: mais que ídolo, Santo!

- Palmeiras, contra tudo e contra todos, chegaremos lá!!!

Atraso

Tá, independente do jogo de hoje e do seu resultado, eu posto alguma coisa aqui hoje...

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Home sweet home

Eu tenho uma casa, uma bela casa. Ela não é muito grande, mas é muito bonita, bem cuidada, super confortável. Meus amigos estão sempre lá, passamos horas muito agradáveis lá. Eu adoro a minha casa!

Mas ela tem um problema: ela sempre é assaltada! Eu já fiz de tudo, mas parece que nada dá certo, nada resolve, e ela continua sendo assaltada, na cara dura, algumas vezes a noite, outras em plena luz do dia. Algumas vezes são apenas coisas de pouco valor, mas eu outras, me levam coisas que eu nunca mais vou poder repor.

Não se mais o que fazer, mas eu estou cansado de ser assaltado em minha própria casa!!!

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

A maior contratação do ano

Se tudo de confirmar, como está se encaminhando, a maior contratação do Palmeiras para este Brasileirão é a manutenção do tripé do meio de campo verde: Pierre, Cleiton Xavier e Diego Souza.

Todos os palmeirenses morriam de medo da venda deles nesta janela, e eu tinha a certeza absoluta que pelo menos um iria sair. Mas os três ficando foi a melhor coisa que poderia nos ter acontecido. E todos saíram ganhando.

O Palmeiras saiu forte, com um time entrosado e com condições de ser campeão. A diretoria mostrou que o tempo dos bundões passou e, finalmente, o Beluzzo está nos mostrando que valeu a pena sim toda a campanha que fizemos, e o gesto dele, na entrevista de terça, de dizer que os jogadores só saíam sobre o seu cadáver foi emblemático e passional, como o futebol deve ser. Até a Traffic saiu ganhando, pois com a venda do menininho mimado vai fechar o ano no azul e pode esperar um pouco para os outros jogadores se valorizarem.

E eles vão, pois este time quer ser campeão, diferente do grupo de chinelinhos de 2008, que entregou o campeonato para o bambis.

Amanhã, ao estádio empurrar o time contra nosso maior rival nos anos 90!

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Feliz aniversário para o Santo

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Inversão de valores

Quando abre a janela, começa a discussão sobre a venda dos jogadores. É um fato que hoje os clubes não são mais donos dos jogadores, que um moleque com 12 anos já tem três empresários e o ‘passe’ dele está retalhado em 45 partes. Mas o que a gente é obrigado a ouvir dos que se dizem jornalistas esportivos é uma palhaçada.

O Flávio Prado de esforça para ser o mais patético de todos. Primeiro, ele fala que pessoas decentes não devem ir ao estádio, e depois que todos os clubes são dirigidos por bandidos, que os jogadores são vítimas dos clubes e que os empresários estão sempre certos. Eu me pergunto, falando este monte de merda, o que este idiota fica fazendo na TV? Se ele odeia tanto o futebol por que não vai ser jornalista de moda ou qualquer outra coisa assim, pois se todos começarem a fazer o que ele prega, o futebol acaba em alguns meses.

Eu não consigo engolir esta história de Lei Pelé e que os jogadores são escravos do clube, toda essa baboseira. Esta coisa de independência financeira é coisa para boi dormir. Qualquer pessoa hoje estuda quinze anos, investe uma fortuna na sua formação e, na maioria da vezes, consegue um salário que no máximo chega a R$ 5mil bruto. Jogadores de futebol, sem qualquer qualificação profissional, recebem no início de carreira salários de R$20mil ou mais, sempre bruto, pois ‘ignoram’ a existência de impostos. Pior ainda é quando você ouve carinha recebendo R$80mil e dizendo que é pouco, que precisa ganhar mais, essas coisas, por isto vai pro exterior.

É uma grande palhaçada, uma afronta à população brasileira, que se mata por um salário mínimo. É ganância, é rir da cara dos brasileiros, principalmente dos torcedores, que são duplamente humilhados por essas pessoas. Se o Flávio Prado diz que a grande maioria dos dirigentes é ladrão, então eu digo que a grande maioria dos jogadores é sim mercenária e gananciosa. Essa coisa de chorar, de bater no peito, beijar o símbolo, é mentira!

Eu amo o futebol, mas parte de mim adoraria que ele desaparece, para ver o que jornalistas esportivos e jogadores iriam fazer da suas vidas, sem os clubes! Jogadores são importantes, mas os clubes são infinitamente mais. E a grande maioria dos jornalistas esportivos são imbecis. Se dizem que os jornalistas musicais são músicos frustrados, os esportivos são simplesmente frustrados.

Mas como futebol é paixão, esse monte de merda pode acontecer, mas a gente não consegue abandoná-lo, pois os clubes e o futebol em si é maior do que qualquer outra coisa. Ainda bem.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

The beginning is the end is the beginning

Hoje é o início de uma nova era para o Palmeiras. Creio que desde a entrada do Felipão não temos uma alteração de comando tão radical e que pode fazer tanta diferença como agora. Neste período, que se iniciou com a saída do melhor técnico do Palmeiras que eu acompanhei, áreas verdes foram habitadas por promessas que nunca vingaram, técnicos tampões, profissionais despreparados e pelo Madureira, que apenas conseguiu destruir parte da boa história que teve aqui, em duas oportunidades.

Certo, nosso técnico agora tem laços fortes com as meninas do Jardim Leonor, mas ele é, acima de tudo, trabalhador e profissional. Em todos os clubes que ele dirigiu (além das meninas, Náutico, São Caetano e Internacional) conquistou títulos e deixou saudades. Acabaram os treinamentos em um período, treinadores que querem aparecer mais que os jogadores, para-raios de merda da imprençinha, esquemas malucos. Agora é hora de montar um time forte e coeso (dentro e fora do campo) e sermos campeões.

É Muricy, agora você tem a chance, pela primeira vez na tua vida, de dirigir um clube que a torcida é realmente apaixonada, que apoia e ama com a mesma intensidade que critica, mas que também não abandona o time nunca. O Palmeiras é uma grande família italiana, onde os filhos brigam com os pais, gritam, xingam, batem na mesa, mas que nunca se abandonam. E ai de quem falar mal de sua família, o sangue sobe e o bicho pega.

Você vai sim receber vaias, mas vai receber mais aplausos, tenho certeza. Porque hoje se inicia uma nova era, uma chance de recolocar o Palmeiras no seu verdadeiro lugar, o lugar mais alto.

Mas para isso, não vendam o Diego Souza, o Pierre e o Cleyton Xavier!!!

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Chupa bambizada

domingo, 26 de julho de 2009

Freguês


Os gambás são fregueses. Desde quando a gente perde deles? Não lembro, faz muito tempo. E hoje a escrita se manteve. Melhor ainda, foi uma vitória incontestável, o neófito Jorginho deu um 'nó tático' no poderoso Mano e, fora o baile, 3 gols do Obina. Isso, 3 gols do OBINA (falha na matrix).

Deve estar doendo muito a cabeça da gambazada. É a primeira vez que a famosa dupla Chicão-Willian leva três numa partida, ainda mais uma partida pífia do primeiro, que depois veio falando merda pra tirar do rabo dele. Mas não adianta, o que importa, mais do que o placar, foi o futebol que o Palmeiras jogou.

Nos detalhes você percebe como o grupo está. O time comemorando os gols juntos, a festa no fim do jogo, principalmente com o Obina, o toque que o Cleiton Xavier deu pro Obina no terceiro gol. A equipe aceitou o Muricy e agora, é rumo ao título.

E, para aqueles que adoram criticar o Verdão, só uma palavra: Obina

sábado, 25 de julho de 2009

O palmeirense é passional


Quando perguntaram pro Evair o que ele teria a dizer para o Muricy, já que ele também jogou nos dois lados do muro, ele disse que a torcida do Palmeiras é muito mais apaixonada e passional, como todo italiano. Esta é uma enorme verdade.

Certo, o Muricy treinou muito tempo os bambis, foi protagonista da palhaçada do gás, então chegou com um olhar desconfiado da torcida, mas se olharmos para um passado próximo, o Felipão também chegou assim, pois dirigia o Grêmio, adversário e inimigo de batalhas épicas nos anos anteriores e, após algum tempo, mostrando raça e tesão, caiu na graça da torcida.

Isso é ser passional e apaixonado. Odeia, mas se apaixona fácil. Basta ver sangue nas veias e nos olhos, dentes cerrados e punhos fechados. Vibração, não indiferença. E acho que nisto o Muricy tem muito mais a ver conosco, do que com aquele bando de almofadinhas arrogantes e recalcados.

Falando nelas, o melhor mesmo foi ver o técnico que elas tanto amam dirigindo o Verdão! Elas ainda são viúvas do Muricy. Mas eu imagino a dor, deve ser como o Felipão sair do Palmeiras e ir para o SPFW, eu acho que teria um troço.

Então, vai lá Muricy, vamos fazer esse time voar e vibrar, e vamos ser campeões do campeonato que vai rebaixar as meninas do Jardim Leonor.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

O maior desafio do Muricy

O Muricy chegou, quando ninguém mais esperava. Se foi uma coisa premeditada ou não, nunca saberemos, pois os bastidores do futebol têm mais mistérios que podemos imaginar, mas é fato que o Muricy está próximo de enfrentar o maior desafio da vida dele: dirigir o Palmeiras.

Não falo isso porque o Palmeiras é maior ou menor do que os outros times, nem sobre a torcida (se bem que nenhum dos times que ele dirigiu tem uma torcida tão passional como a nossa), mas sim com relação ao que vimos nesta noite de quarta-feira: o Palmeiras, um dos maiores times do país, vice-líder do campeonato, indo jogar contra um time insignificante como o Goiás e, mesmo assim, sendo roubado na cara dura. Arbitragem caseira é uma coisa, roubo é outra muito diferente.

Entra ano e sai ano, a situação não muda: na dúvida, no rabo do Palmeiras!

Isso cansa. Mas a gente é apaixonado. Quanto mais a gente apanha, mais a gente se apaixona. Quanto mais nos roubam, mas fanático a gente fica, e não adianta, podem fazer o que quiserem, roubarem a gente, içarem os bambis à condição de segunda maior torcida de SP, que a torcida alviverde sempre vai se manter forte, enchendo o estádio, acompanhando o time e torcendo.

Portanto, sr. Muricy, você vai encontrar uma torcida passional, apaixonada e vibrante. Se não está acostumado com isso, vai ser bom se acostumar. Se entrar no jogo, a gente logo esquece teu passado bambi e você vira deus. Caso contrário, as portas do fundo estão abertas para você sair.

terça-feira, 21 de julho de 2009

Magoadinho

A entrevista do 'mênege' Luxemburgo no Bem Amigos ontem foi patética. Eu não assisti inteira, não tenho estômago para tanto, mas pelo que vi e o que acompanhei nos sites hoje, o 'grande estrategista' esculhambou o Palmeiras, dando como único motivo para a sua saída a questão financeira, ou seja, o Palmeiras não queria mais pagar a fortuna do seu salário. Obviamente que não tinha mais nada acontecendo, o time não estava caindo pelas tabelas, não foi desclassificado da Libertadores de fora ridícula e por um time mais ridículo ainda, não foram contratados jogadores inúteis e nem foram dispensados ídolos, muito menos a torcida estava exigindo (vejam bem, exigindo, não pedindo) a sua saída.

Não, nada disso, tudo estava maravilhoso no reino do Palestra Itália, o time estava jogando muito, colecionando títulos quando, injusta e ditatorialmente, a diretoria passou a achar que o salário pago para o 'maior treinador do mundo' era exagerado e, como este, com toda razão, recusou a aceitar, foi sumariamente demitido.

Ah, vai tomar no cu, senhor Vanderlei Luxemburgo! Você já foi um bom treinador, mas a mosca azul fodeu com tudo, e agora é ladeira abaixo. Olha o Leão, que há três anos atrás era um treinador de primeira linha e agora tá derrubando o Sport, este é o teu futuro. Tomara que você afunde com o Santos, pra acabar com essa soberba, e logo logo a gente vai se encontrar, quando jogarmos com o Náutico, Paysandu, Paraná Clube ou Juventude.

E por falar nisso, alguém sabe quando o Keirrison vai ser apresentado em Camp Nou?

domingo, 19 de julho de 2009

Caminho certo

Mais um jogo, mais uma vitória. Melhor, mais uma boa apresentação de um grupo que, se não tem muitos craques, joga com vontade. O Diego Souza mais uma vez fez uma partida irretocável e o Edmilson mostra que a sua contratação foi sim uma boa, pois trata-se de um jogador diferenciado, que sabe o que faz com a bola e será o parceiro perfeito para o Pierre.

E o Jorginho vem mostrando que treinador raramente ganha jogo e campeonato (mas perde!). Sem grandes invenções, criando esquemas táticos mirabolantes que a boleirada não entende, jogando o feijão-com-arroz, mas que vem funcionando.

Só nos resta esperar a janela de agosto, para o bem e para o mal. Assim, como alguns podem (e devem) sair, esperamos que outros venham, mas com qualidade, nada de Mozarts da vida. Mas eu preciso confessar que esta janela me angustia, pois temo que ela nos fará mais mal do que bem.

Finalmente, uma pergunta: quando o K9 vai vestir a camisa do Barcelona?

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Quando eles querem




Raramente um técnico ganha jogo. E quando ele ganha, é porque faz o time jogar por ele, como o Felipão, ou os convence a jogar, por algum motivo. E hoje, no Rio, contra o todo poderoso Flamengo, um Palmeiras totalmente retalhado jogou muito e venceu com sobras. E agora é vice líder.

Ficou claro que não adianta por um técnico conhecido no Palmeiras, que os caras não querem um medalhão, arrogante, prepotente e pomposo. Os jogadores sabem jogar, mas jogam quando querem.

Nós temos um jogador acima da média, que desequilibra, chamado Diego Souza. Temos um volante que desarma qualquer jogador, que não tem medo de cara feia, chamado Pierre. E temos um moleque atacante, vindo de um país menor, de um clube pequeno, que se tiver tempo e for bem cuidado, será um dos melhor jogadores do Paraguai, chamado Ortigoza.

Fato, esse time tá jogando porque tá afim de jogar. E é isso que a torcida quer.

domingo, 12 de julho de 2009

'Professô'

Tudo leva a crer que o Jorginho será efetivado como no novo treinador do Palmeiras, após as recusas do Muricy e do Dorival Júnior. E como seu auxiliar, será contratado o Evair.

Pensando bem, acho que agora é a melhor opção, uma vez que no mercado não existe mais ninguém com condições de assumir o Palmeiras e, em se tratando de uma opção mais barata, é possível investir este dinheiro em jogadores (comprar o Ortigoza, trazer um novo centroavante e, quem sabe, trazer o de volta o Valdívia).

Mas, o principal não é isto. Qualquer pessoa que já tenha convivido nos bastidores do futebol sabe que os jogadores podem se unir com o treinador e darem o sangue, ou fazerem corpo mole para derrubá-lo. Pelas declarações dos jogadores do Palmeiras ficou claro que eles estavam de saco cheio do Luxemburgo e não estão afim de um outro medalhão, e por isso querem a efetivação do Jorginho. Por isso e porque parece que ele tem o poder de agregar os jogadores, qualidade de treinadores como o Felipão e o Mano.

Assim, contratar um novo treinador é besteira, porque os caras não querem. E já deixaram clara esta opção. Então, efetivem o Jorginho e deixem que os jogadores façam a sua parte.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Uma escolha ingrata

Se realmente, como disseram, o twitter do Beluzzo é realmente do Beluzzo, então não temos um técnico. Vejam a twittada:

Belluzzo_p Torcida palmeirense: Infelizmente não chegamos a um acordo financeiro com o técnico Muricy Ramalho. Vamos atrás de outras opções. Abraços

Agora, não sei se fico triste ou contente. Triste porque não vejo outro treinador com condições de assumir o Palmeiras hoje, mas contente porque esta situação já estava começando a encher o saco, o Muricy estava tratando o Palmeiras com descaso, fazendo com que tudo já começasse errado.

Creio na competência da diretoria do Palmeiras e sei também que a Traffic não deixará seus jogadores nas mãos de um Nelsinho da vida (a não ser que eles também caiam fora, mas isto é outro assunto), assim espero que logo um bom nome possa ser apresentado.

Sugestões? Não tenho. E por isto mesmo não queria estar, neste momento, na pelo nem do Cipullo nem do Beluzzo, mas espero que eles não inventem um outro Ricardo Gomes, porque daí é rezar pra não cair.

terça-feira, 7 de julho de 2009

O fogo ou a frigideira

A novela continua, mais de 10 dias sem técnico e uma interminável negociação com o Muricy. Por que o Palmeiras insiste e se submete aos desejos do ex-bambi (existe ex-bambi?)? Por um motivo muito simples: não existe ninguém disponível hoje no mercado.

Dos técnicos que existem, o Felipão e o Abel estão bem empregados no exterior e o Mano tá infelizmente fazendo sucesso nos gambás, assim, só sobrou o Muricy. O resto? Nenhum deles tem condições de ser técnico do Palmeiras, pois dividem-se entre os inexperientes (Dorival Júnior, Arce) e os ruins (Geninho, Celso Roth). Então, a diretoria fica sem saber o que fazer.

Pode ter certeza que passa pela cabeça deles uma vontade quase incontrolável de mandá-lo tomar no cu, mas, se fizerem, vão contratar quem? O Leão? O Nelsinho? Efetivar o Jorginho Pé Frio? Não tem como, a diretoria do Palmeiras está entre a cruz e a espada.

Só espero que isto tudo compense ao final.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

E o que eu faço com esta camisa?

Quando o tal do pipoqueiro (me recuso a escrever este nome neste blog daqui em diante) chegou ao Palmeiras, no início do ano, foram vendidas milhares e milhares de camisas com o número 9 e aquele nome maldito nas costas. Coitados daquels que as compraram, às duras penas, pois uma camisa oficial custa uma fortuna e, considerando o padrão de vida dos brasileiros, pesa e muito no orçamento. Assim, é um produto para ser usado por muitos anos.

Agora, poucos meses depois, todos têm um mico nas mãos, uma camisa com um nome que será ignorado nos livros de histórias palestrinas, pois nada acrescentou, mas que ainda acompanhará muitos palmeirenses por anos e anos.

Não que o fato de um jogador sair fará com que a sua camisa se torne descartável, pois eu usaria com orgulho a 10 com o nome do Valdívia, a 30 com o nome do Kleber e, mesmo anos atrás, a 2 do Arce, a 9 do Evair e muitas outras. Porém, alguns saem pela porta de trás, com a cabeça coberta pela vergonha de quem não é homem de olhar no olho dos companheiros e dos torcedores.

Eu não tenho uma camisa com aquele nome covarde. As únicas que eu tenho com nome são duas que eu ganhei, faz tempo, do Paulo Assunção (?) e do Tupã (??) e a que eu comprei, coloquei o meu nome. Mas, se eu tivesse uma com aquele nome, colocaria uma fita sobre ele, pra que tal nunca mais nem entrasse no Palestra.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

O certo da forma errada?

O Luxemburgo caiu. Oficialmente, foi pelas reclamações públicas a respeito da forma como a venda do Keirrison se deu. Ironicamente, ele fez um monte de merda nos últimos meses mas acabou sendo demitido em um dos raros momentos em que pensou como os torcedores, indignado pelos caminhos tomados nesta negociação, tendo total razão quando chamou o Palmeiras de ‘barriga de aluguel’, pois, neste caso, é exatamente isto que fomos. Pagamos os salários e demos visibilidade para um moleque que já estava vendido desde o começo do ano, só faltando saber para quem.

Neste momento, o Luxemburgo vociferou contra a Traffic e nossa diretoria e, por isto foi demitido, pela tal ‘quebra de hierarquia’. Hierarquia é o caralho! A hierarquia é o dinheiro, pois quando o empresário de um jogador decide se ele pode ser escalado ou não, a tal hierarquia foi à merda.

Então, por vias tortas, o Luxemburgo saiu do Palmeiras, que com certeza receberá uma fortuna por esse rompimento (duvido que a Traffic vai nos ajudar a pagar tal dívida, mesmo que tal demissão tenha se dado pela diretoria tomar as dores desta empresa) e, assim, fiquei pensando: será que ele deveria ter sido demitido por dizer o que todo torcedor sente? Então, o torcedor que criticar a diretoria vai ser impedido de assistir aos jogos? Mas, pensando com mais calma, não tenho mais certeza de nada.

O Luxemburgo é macaco velho, sabe como o futebol funciona, quais são as malícias, as sacanagens, até por participar de muitas delas, então só me resta pensar em quatro hipóteses para ele ter feito o que fez:

Se ele ficou realmente indignado por tudo e foi sincero, então a diretoria fez outra besteira, e eu começo a achar que independente do nome do cara que põe a bunda na cadeira de presidente, é tudo a mesma merda. Triste.

Porém, isso pode ter se dado por outros três motivos: o Luxemburgo ficou puto porque não participou das tramóias, estava cansado de tudo e forçou uma demissão, pra sair com mais grana ou então está senil mesmo. Seja qualquer uma destas listadas neste parágrafo, já foi tarde.

E para o Keirrison e seus empresários, o ser humano que escreve este blog deseja tudo de bom, pois em seis meses a gente nem mais vai lembrar que esse cara usou a camisa verde; mas o torcedor, passional e raivoso, quer que eles vão pra puta que os pariu e que ele nunca passe de uma promessa e volte pro Brasil com o rabinho no meio das pernas pra aprender o que é brincar com uma instituição quase secular como o Palmeiras.